PROCFIT Sistemas ERP CRM POS RMS DMS MMS WMS E-Commerce

Operações Logísticas: saiba mais sobre esse assunto

Os processos logísticos são essenciais para o funcionamento da empresa. Sem eles, é impossível que a cadeia de suprimentos passe por todas as etapas necessárias. Conhecer melhor as operações logísticas vai ajudar a desenvolver as atividades de rotina da companhia e também contribuir para o planejamento estratégico que visa reduzir custos e melhorar a produtividade — independentemente do porte da empresa.

O conceito de logística

Embora o termo seja moderno, a logística sempre foi aplicada ao longo da história. As atividades estratégicas da logística são a armazenagem, distribuição e transporte, sendo que suas operações envolvem a produção de bens e serviços, a manutenção de máquinas e equipamentos, as compras e o compromisso com os prazos de entrega.

Quando se efetuam os processos logísticos com cuidado e organização, é possível reduzir custos e evitar desperdícios e prejuízos.

Para otimizar as operações logísticas, vale a pena recorrer a algumas ferramentas que podem acelerar o desenvolvimento dessas atividades e aumentar sua eficiência.

Logística e cadeia de suprimentos

Para o ciclo de produção e a geração de produtos, é preciso que existam recursos e matérias-primas. Há empresas que somente revendem produtos acabados, sem a necessidade de produzi-los.

Seja qual for a atividade que a companhia desenvolva, produção ou revenda, ela precisará adquirir insumos/produtos com fornecedores, guardá-los em um local (armazenagem), cuidar de sua manutenção e segurança (estocagem) e de sua movimentação para outros pontos de distribuição ou para o consumidor final (distribuição e transporte).

Todas essas atividades são operações logísticas, e a forma como a empresa as desenvolve é decisiva para que ela ofereça produtos de qualidade em tempo satisfatório, agrade o cliente e obtenha maiores lucros.

Agregadoras de valor ao produto

Uma das mais importantes consequências das operações logísticas é que elas agregam valor ao produto ou ao serviço prestado. Isso significa que a logística vai muito além de conceitos como transporte, ciclo de produção, estoque, just in time, lead time (tempo de entrega) e outros.

Podemos nos perguntar: qual a necessidade de um sistema de transporte eficiente e ágil para uma empresa? Uma das respostas será: para fazer entregas a tempo. Ou seja, o cliente é importante para as operações logísticas.

Quando um gestor gerencia a logística de sua empresa com cautela e usando os melhores recursos e estratégias, ele está agregando valor ao seu produto final, ao serviço de entrega e até de atendimento (etapa que dá início ao ciclo de produção).

Boas estratégias para serem aplicadas nos processos logísticos

Considerando esses aspectos, desenvolveu-se o conceito de logística enxuta, que defende a eliminação dos desperdícios e o desenvolvimento somente das atividades que agreguem valor ao produto (valores que sejam percebidos pelo cliente e não baseados somente na opinião do gestor).

Isso significa que a opinião do cliente, o que ele pensa e o seu comportamento são fundamentais para orientar as operações logísticas.

Just in time

O just in time é uma excelente estratégia que consiste em realizar pedidos de reposição somente quando o estoque exigir. Mais uma vez, o cliente é um elemento de peso para essa operação porque, para determinar o momento certo de fazer o pedido de um produto, o gestor vai considerar a sua demanda — isto é, a frequência com que o cliente o procura.

A partir daquela observação, é possível definir um estoque de cada item: a quantidade mínima a que esse produto pode chegar sem gerar problemas no atendimento ao cliente; quando o produto atinge essa quantidade mínima, é o tempo certo para fazer novo pedido (ponto de pedido).

Dessa maneira, o gestor não peca por excesso e nem por falta, e o negócio consegue prosperar sem a necessidade de grandes gastos.

Terceirização das operações logísticas

Outra estratégia que algumas organizações costumam usar é terceirizar a gestão das operações logísticas ou, ao menos, de algumas delas, como armazenagem e transporte. Certas empresas terceirizadas oferecem espaços para o armazenamento dos produtos ou insumos e cuidam da administração dos itens.

As transportadoras, por sua vez, encarregam-se de efetuar a entrega das mercadorias ao destinatário final, conduzindo-as, na forma de cargas, por rotas planejadas. Recorrer às transportadoras é uma alternativa para pequenas e médias empresas que sentem dificuldades em arcar com uma frota particular — mesmo assim, grandes organizações também estão optando pelos serviços das transportadoras quando consideram mais viável.

Parceria direta com os fornecedores

Outra estratégia que algumas empresas, inclusive de grande porte, têm adotado é entregar o gerenciamento de seus estoques aos fornecedores. Com isso, evitam-se os gastos com as compras desnecessárias e o problema de faltar itens indispensáveis ao seu negócio, devido às falhas no controle da saída de mercadorias.

WMS (Warehouse Management System)

O WMS é um sistema de gerenciamento de armazéns que ajuda os gestores a gerenciarem com mais eficiência as operações logísticas. Trata-se de um sistema automatizado, como os ERPs (Sistemas Integrados de Gestão), que otimiza o fluxo de informações relacionadas aos materiais, dinamizando as operações.

Alguns dos benefícios que o WMS proporciona são:

  • Aumento na precisão das informações de estoque: indústrias e empresas trabalham com uma quantidade alta de pedidos fracionados e isso exige um gerenciamento mais apurado das informações, a fim de melhorar a confiança dos clientes;
  • Melhoria na produtividade dos funcionários e dos equipamentos: por meio do registro dos dados, é possível acompanhar o nível de produtividade de cada empregado e a eficiência das máquinas;
  • Inventário físico: devidamente configurado, o sistema WMS pode fazer inventários (gerais ou rotativos);
  • Possibilidades de gerir diversos locais de estocagem e produtos de diversos proprietários: o sistema permite gerenciar armazéns diversos situados em locais distantes uns dos outros e que pertençam a proprietários diferentes (garantindo total segurança e o sigilo das informações);
  • Inovação: é preciso entender que somente inovando o gestor conseguirá acompanhar as tendências e as mudanças e toda a sua equipe também precisa estar preparada para isso;
  • Integração com ERP: o sistema WMS pode ser integrado ao ERP, tornando as operações logísticas ainda mais ágeis e eficientes, já que o ERP é o sistema de integração por excelência.

E você? Como tem realizado a gestão de suas operações logísticas? Que dificuldades tem encontrado? Identificou qual a importância da logística a fim de agregar valor ao seu produto? Deixe seu comentário.

Marcos Cônsoli

Engenheiro de Produção, formado pela USP com mais de 12 anos de experiência em mapeamento de processos e implantação de sistemas ERP nos setores da indústria, varejo e distribuição. MBA em Implantação de Sistemas de Gestão Empresarial pela FIAP e certificado em Supply Chain Management – Certified in Production and Inventory Management (CPIM) – pela APICS. Atualmente, é o vice-presidente de Sistemas da PROCFIT englobando todo setor de desenvolvimento de soluções tecnológicas, processos e service-desk.

Adicionar Comentário

Siga-nos

Não seja tímido, entre em contato. Adoramos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos.