PROCFIT - Gestão Orientada a Processos

WMS é indispensável para o Varejo do presente garantir presença no futuro

WMS

WMS indispensável para redes de varejo

Apesar dos fundamentos da distribuição de produtos não ter mudado tanto nos últimos anos, o aumento do número de pontos de vendas, as parcerias e principal o aumento dos canais de vendas, como: televendas, e-commerce, franquias, venda porta a porta, entre outros, levaram as empresas a repensar suas operações logística e principalmente o armazenamento, afinal de contas, receber a mercadoria, acondicionar e expedir com maior eficiência e menor custo operacional, pode significar a reversão de prejuízo em lucro ou de lucro em um lucro ainda maior.

Observe alguns fatores importantes sobre as operações logística, armazenamento e distribuição no varejo.

Os WMS devem trabalhar concomitantemente com caixas, pallets itens individuais

Segundo Simon Ellis diretor do IDC Manufacturing Insights “Os WMS tem de se tornar melhor em lidar com itens individuais ao invés de apenas caixas e pallets”. Essa tendência vem de encontro com a mistura de venda e distribuição realizada através de operações On-Line, como por exemplo: televendas e lojas virtuais (e-commerce), com os modelos tradicionais de distribuição e pontos de vendas físicos.

Outro fator relevante em relação a capacidade dos WMS trabalhar melhor com itens individuais é o elevado custo do m2 dos pontos de vendas. Num passado não muito distante os pontos de vendas tinha a frente de loja e o belo espaço de estoque de retaguarda, onde as mercadorias eram recebidas dos centos de distribuição e até mesmo dos fornecedores e fracionadas a cada abastecimento das gondolas. Com o aumento do valor do m2 as lojas são cada vez menores e precisam receber as mercadorias já fracionadas de acordo com a demanda de vendas.

Novos concorrentes velhos conhecidos

Muitos fabricantes vem implantando lojas virtuais e lojas físicas próprias e até mesmo franquias em parceria com terceiros, como por exemplo: Samsung Store, LG Store, Victoria Secrets Store e Lindt Chocolate Shops que inclusive recentemente anunciou joint venture no Brasil com a CRM dona das marcas Kopenhagen e Brasil Cacau.

lindt

A competência do varejo tradicional no abastecimento de seus pontos de vendas é sem dúvida alguma um grande diferencial para competir com esses novos concorrentes, que são velhos conhecidos e tem armas importantes para lutar pelo seu espaço no mercado.

WMS só funciona com uma equipe bem preparada

Simplesmente implantar um WMS não resolve os problemas de recebimento, acondicionamento e expedição de mercadorias nos centros de distribuição, é preciso definir e utilizar boas práticas, adotar tecnologias complementares como coletor WIFI, etiquetas e coletores de RFID, esteiras, entre outros recursos que se integram com o WMS, treinar e preparar a mão de obra.

Muitas empresas implantaram WMS fizeram grandes investimentos e não obtiveram nenhum benefício. Em alguns casos inclusive, tiveram até mesmo aumento no custo da operação e em outros casos redução da eficiência operacional. Reflexo de uma implantação sem preparação, treinamento e mudanças dos processos com base nas melhores práticas já testadas e aprovadas pelo mercado.

Marcos Cônsoli

Engenheiro de Produção, formado pela USP com mais de 12 anos de experiência em mapeamento de processos e implantação de sistemas ERP nos setores da indústria, varejo e distribuição. MBA em Implantação de Sistemas de Gestão Empresarial pela FIAP e certificado em Supply Chain Management – Certified in Production and Inventory Management (CPIM) – pela APICS. Atualmente, é o vice-presidente de Sistemas da PROCFIT englobando todo setor de desenvolvimento de soluções tecnológicas, processos e service-desk.

Adicionar Comentário

Siga-nos

Não seja tímido, entre em contato. Adoramos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos.