PROCFIT Sistemas ERP CRM POS RMS DMS MMS WMS E-Commerce

Sua empresa está treinando os funcionários adequadamente?

Treinamento de equipe

Para uma empresa de grande porte, o treinamento dos funcionários é uma atividade constante, havendo mesmo na totalidade dessas empresas, um setor encarregado especificamente de treinamentos, com um plano de desenvolvimento elaborado de acordo com as necessidades de cada função dos colaboradores.

Para empresas de pequeno e médio porte, no entanto, é normal acontecer que uma mesma pessoa tenha diversas responsabilidades, muitas vezes acumulando funções, e isso em virtude da própria necessidade da empresa.

Mesmo o próprio empresário, que costuma ter sob sua própria responsabilidade ações dos setores financeiro, comercial, organizacional, entre outras. Assim, as pequenas e médias empresas possuem muito mais atividade por cada colaborador do que uma empresa de maior porte.

O treinamento não pode ser esquecido nas pequenas e médias empresas

Para o administrador de uma pequena ou média empresa, o treinamento é uma parte importante de todo o processo administrativo, não podendo ser deixado de lado. Um dos quesitos mais discutidos em cursos de gestão é exatamente sobre a importância de manter os colaboradores devidamente treinados e essa incumbência cabe ao empresário, já que é ele mesmo quem, na maior parte das vezes, administra a empresa.

A capacitação dos colaboradores deve ser um processo contínuo. Quando falamos em treinamento, não podemos considerar como treinamento uma palestra. Isolada, uma palestra é um evento informativo, e não um treinamento.
O empresário não pode esperar que seus colaboradores se transformem com uma palestra de pouco mais de uma ou duas horas.

O treinamento deve ser um processo contínuo, deixando tempo para que se coloque em prática o que está sendo ensinado e orientado. Trata-se, portanto, de um trabalho de grande responsabilidade que, com o tempo, transforma o seu custo em investimento, trazendo resultados para a empresa.

Como investir em treinamento nas pequenas e médias empresas

Para uma pequena ou média empresa investir em treinamento é necessário que o empresário tenha em mente quais são as competências necessárias para o desempenho das tarefas por cada colaborador. É preciso também conhecer muito bem sua equipe de trabalho, sabendo sobre suas competências técnicas, conceituais e comportamentais, comparando com as competências exigidas para as atividades cotidianas de cada colaborador.

O empresário deve elaborar uma lista sobre o que é necessário para que seus colaboradores possam oferecer melhor qualidade no trabalho, verificando que competências precisam ser desenvolvidas por cada um deles, analisando a viabilidade de desenvolvimento de um programa de treinamento ou se vale a pena a contratação de um profissional para essa tarefa.

Em primeiro momento, não é interessante colocar todos os colaboradores numa mesma sala, procurando economizar. Se houver profissionais de níveis de conhecimento muito diferenciados, os resultados podem ser totalmente negativos, já que o responsável pelo treinamento não terá como atender às necessidades de um grupo tão heterogêneo.

Estabelecendo um diagnóstico do treinamento

A elaboração do programa de treinamento para os colaboradores exige, como primeira providência, um diagnóstico, procurando saber em cada área o que é necessário para melhorar o potencial de cada colaborador e quais são os treinamentos prioritários.

Analisando o que é mais urgente entre tudo o que é preciso implantar, é possível estabelecer um cronograma de treinamento, que deve ser planejado com cuidado para obter os melhores resultados possíveis.

Havendo mais de uma unidade da empresa, cada unidade deve ter o seu próprio diagnóstico, em separado, já que um tipo de treinamento fornecido para uma pode não ser necessário para outra.

O importante é destacar que o treinamento dos colaboradores precisa, obrigatoriamente, ser subordinado às necessidades da empresa, e não o contrário. Se um colaborador tem vontade de fazer um treinamento em uma determinada área, que não seja do interesse da empresa, ele deve fazer por conta própria ou, se a empresa tiver condições e interesse, subsidiar esse treinamento.

O planejamento para o treinamento em pequenas e médias empresas

Feito o diagnóstico, é necessário definir como deve ser feito o treinamento, dentro de um planejamento bem elaborado. É preciso definir o número de pessoas, a quantidade de horas/aula, o período do treinamento e o local onde será realizado.

Depois de elaborado o planejamento, é necessário avisar todos os colaboradores com o tempo necessário de antecedência (normalmente um mês), para que não arrumem compromissos durante o período.

A área de pessoal, ou pessoa responsável por ela, também deve consultar o calendário de férias, não devendo marcar treinamento durante o tempo em que um funcionário participante esteja gozando seu período de férias.

Os custos do treinamento para pequenas e médias empresas

A empresa deve analisar todos os gastos envolvidos no treinamento, como contratação de instrutores, material, locomoção (caso o treinamento seja fora da empresa), aluguel do espaço e alimentação.

Se o treinamento for realizado durante o expediente, é preciso também considerar os custos não evidentes, como horas não trabalhadas, ou o pagamento de outras pessoas, se determinada atividade não possa ser interrompida.
Sabendo sobre os custos de treinamento, o empresário poderá reservar uma verba anual para essa atividade, criando um provisionamento que deve ser considerado como investimento.

Formas de realizar o treinamento dos colaboradores

O treinamento dos colaboradores pode ser realizado basicamente em dois formatos:

– Apresentações, com palestras, onde os colaboradores podem obter o conhecimento e fazer perguntas ao final da palestra;
– Cursos práticos, onde eles aprendem sobre determinadas técnicas, devendo coloca-las em prática ao final do treinamento.

Os métodos devem ser escolhidos de acordo com as necessidades da empresa. Um curso de atendimento ao cliente, por exemplo, pode ser montado como palestra, com atividades práticas no final. Ou um curso sobre novas técnicas de manutenção, não pode ser feito em formato de palestra, e sim de aulas com atividades práticas.

Avaliação do treinamento dos colaboradores

Ao final de cada treinamento é recomendado fazer um teste prático. Esse teste não tem como objetivo aprovar ou reprovar, mas sim verificar se o treinamento atingiu os resultados esperados. Caso esses resultados não sejam os previstos, é preciso analisar o que houve de errado, tomando as providências para que não ocorram tais erros no futuro.

A avaliação dos colaboradores também oferece outro benefício, incentivando os colaboradores a uma maior dedicação em todos os treinamentos oferecidos, além de poder avaliar o curso e oferecer sugestões para sua melhoria.

Rogério Cruz

17 anos de experiência nos segmentos de Varejo e Telecomunicações, graduado em Engenharia Elétrica pela USJT, Pós-Graduado em Gestão de Empresas pela PUC, MBA em Finanças pela FIA/USP e Mestre em Engenharia de Produção – Logística e Supply Chain pela FEI. Ocupou posições de diretoria de Logística, Operações e Supply Chain em empresas como CVS/Caremark (SP), Drogaria Venâncio (RJ), Brasil Pharma/BTG Pactual (PE), Drogaria Onofre (SP). Atualmente é o vice-presidente de Serviços da Procfit.

Adicionar Comentário

Siga-nos

Não seja tímido, entre em contato. Adoramos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos.